fbpx

Tártaro no dente

Tártaro no dente: Por que e como evitar

Você notou que está com tártaro no dente? Já percebeu, eventualmente, sangramento gengival, vermelhidão na gengiva ou inchaço?

Se você está com algum desses sintomas, então leia esse artigo até o final! Eu vou explicar tudo o que você precisa saber sobre a formação do tártaro no dente e mais:

  • O que é o Tártaro
  • Quais as causas
  • Consequências do tártaro
  • Como descobrir os sinais e sintomas
  • Como prevenir
  • Formas de tratamento
tartaro

tártaro no dente

O que é o tártaro no dente:

De modo geral, “tártaro” é o nome popular do cálculo supragengival (nome correto). Também conhecido como cálculo dental, ou “pedra”, numa linguagem muito mais popular, é aquele material amarelado que se acumula entre os dentes.

É caracterizado pela mineralização ou calcificação da placa bacteriana que adere à superfície dos dentes. Sabe aquela camada viscosa e incolor que se forma, de maneira constante, sobre os dentes e gengiva?

Então, essa é a famosa placa bacteriana! Quando a placa permanece por muito tempo sem ser removida corretamente, ela endurece e forma o cálculo.

O tártaro é facilmente identificável, pois se localiza acima da margem gengival – por isso que o nome científico é cálculo SUPRAgengival.

CAUSAS DO TÁRTARO

A causa principal para a formação do tártaro no dente, como já falei acima, é a presença de bactérias (placa ou biofilme bacteriano). Geralmente, sua formação está relacionada a uma higiene bucal deficiente. Se você não escova os dentes de forma correta e não usa o fio dental, você permite que as bactérias se acumulem nos dentes e ao redor da gengiva.

Inicialmente, surge uma camada incolor sobre os dentes (placa bacteriana), que vai se tornando, com o tempo, esbranquiçada e viscosa. A placa é facilmente removida pela escova de dentes e pelo fio dental, pois está fracamente aderida ao esmalte do dente.

(Faz um teste aí: esfrega a unha sobre os dentes da frente e vê se não sai uma “massinha” branca sob a unha?)

Da mesma forma que a placa sai com a unha, sai também na higiene bucal diária! A placa bacteriana é facilmente removida com uma boa escovação e com o fio dental (se usado corretamente, é claro..)

 

 

CONSEQUÊNCIAS DO TÁRTARO

Finalmente, se você não remove as bactérias em casa e não visita seu dentista regularmente, a placa começa a endurecer. Com o tempo, ela vai calcificando e se tornando impossível de ser removida na escovação.

Nesse ponto, após a formação do cálculo supragengival, somente o dentista consegue removê-lo no consultório, pois este se torna duro e aderido ao dente.

Além disso, a presença do tártaro favorece o maior acúmulo de placa bacteriana, aumentando ainda mais o desenvolvimento da gengivite. (Se você não sabe o que é a GENGIVITE ou ainda não leu esse artigo que escrevi, clica AQUI!)

Portanto, se o paciente não for ao dentista tratar o problema ainda no seu estágio inicial, este poderá evoluir para a doença periodontal ou periodontite. Nesses casos, forma-se o cálculo SUBGENGIVAL, ainda mais perigoso e patogênico do que o tártaro.

“Dr. Bruno, como eu posso saber se estou com gengivite?”

Boa pergunta! Por sorte, os sintomas da gengivite são fáceis de perceber e nos ajudam a diagnosticar rapidamente um problema gengival.

SINAIS E SINTOMAS

Os principais sintomas causados pelo tártaro no dente são:

  • Sangramento gengival (o mais fácil de notar e o primeiro a despertar a atenção dos pacientes);
  • Edema ou inchaço (a inflamação no local provoca uma mudança no formato da gengiva, deixando-a com um aspecto de “gorda”);
  • Vermelhidão (como qualquer processo inflamatório, o aumento dos vasos sanguíneos num local inflamado provoca a mudança na coloração e também no aumento da temperatura)
  • Dor ou sensibilidade (esse sintoma pouco aparece na primeira fase da doença).

Alguns pacientes chegam a relatar mau hálito enquanto estão com gengivite, geralmente, provocado pela alta quantidade de bactérias na boca. Porém, este não é um sintoma muito comum numa fase precoce.

Durante o estágio inicial da doença, os danos causados na gengiva são facilmente reversíveis. Isso se dá uma vez que o osso e os ligamentos (tecidos periodontais de suporte dos dentes) ainda não foram atingidos pela doença (eu disse AINDA).

Procure rapidamente um Periodontista!

Para isso, o paciente precisa procurar imediatamente um Periodontista e restabelecer os bons hábitos de higiene bucal! Entretanto, se não for tratada, uma gengivite pode evoluir em pouco tempo para uma periodontite.

Nesse caso, alguns danos causados às estruturas de suporte dos dentes são irreversíveis, como a perda óssea. (Se você quer saber mais sobre PERIODONTITE, não deixe de ler ESSE ARTIGO AQUI!)

Resumindo, essa evolução para a periodontite depende de diversos fatores, mas basicamente, essa evolução acontece porque o paciente não procura tratamento. Dessa forma, o paciente permite que a doença se desenvolva para os próximos estágios. Se não tratada, a periodontite evolui e pode ter consequências muito graves, incluindo o amolecimento e a perda de dentes nos casos avançados.

Se você perceber, portanto, qualquer um desses sintomas ou algo parecido, não hesite em procurar um PERIODONTISTA! O diagnóstico precoce ajuda bastante no tratamento e favorece uma recuperação mais rápida.

tártaro no dente

 

Como prevenir o tártaro no dente?

Manter um boa higiene bucal é essencial e é a dica mais importante. Porém, a consulta periódica com o Periodontista também é extremamente importante. Portanto, quanto mais tempo você demorar, maiores as chances de evoluir a doença.

5 DICAS  DE PREVENÇÃO:

  • Escove os dentes corretamente, ao menos, após as 3 principais refeições;
  • Use adequadamente o fio dental para remover a placa e os restos de alimentos;
  • Mantenha uma alimentação correta e menos artificial possível;
  • Evitar cigarros e outras formas de tabaco;
  • Vá ao dentista regularmente!

Tratamento

Finalmente, o tratamento do tártaro é alcançado, de forma geral, pela sua completa remoção. Porém, esta não é a única abordagem. O tratamento completo consiste nos seguintes passos:

  • controle da placa bacteriana (profilaxia e polimento);
  • introdução de novos hábitos de higiene bucal (escovação e fio dental);
  • eliminação de fatores que aumentam o acúmulo da placa (ex: próteses e restaurações mal adaptadas, que dificultam a higiene por parte dos pacientes);
  • raspagem (alisamento da superfície do dente e remoção do cálculo);

A RASPAGEM é realizada por meios de instrumentos como as curetas e o aparelho de ultrassom (algumas pessoas ainda usam o antigo termo “tartarectomia”).

A remoção da placa bacteriana (através da PROFILAXIA) é de suma importância para evitar a formação do novo tártaro. Certamente, a prevenção é ainda mais importante a longo prazo para a manutenção da saúde gengival.

Além disso, se for realizado um bom tratamento e o paciente colaborar com a higiene correta e visitas preventivas frequentes, a doença pode não retornar nunca mais.

tártaro nos dentes

 

CONCLUSÃO

Por fim, quero salientar a importância das consultas preventivas periódicas com o Periodontista. Essas manutenções preventivas (a boa e velha “limpeza dos dentes“) têm a finalidade de evitar a recidiva das doenças e aumentar a longevidade dos dentes envolvidos.

A manutenção da higiene bucal eficaz é uma medida essencial na prevenção da doença. Nunca se automedique e procure com urgência um periodontista ao perceber os primeiros sinais e sintomas já citados.

Gostou das dicas? Então compartilha esse artigo! 😉

Espero ter ajudado e tirado suas dúvidas sobre o que é o tártaro no dente.

Se ainda quiser fazer alguma pergunta, escreve aqui embaixo nos comentários e eu terei a maior satisfação em responder!

**PS: Se estiver procurando algum periodontista em Salvador (BA), deixarei aqui nesse LINK o meu WhatsApp, ok? 😉

2018-12-18T15:17:39-03:00
%d blogueiros gostam disto: